Léxico

(trecho de A Dramaturgia)

Ironia dramática (dramatic irony): procedimento que consiste em dar ao espectador informação que ao menos um dos personagens ignora (conscientemente), privilegiando, portanto, o espectador em relação a um (ou mais) personagem(ns). A ironia dramática é trabalhada em três etapas: instalação, exploração e resolução. A ironia dramática formula-se da seguinte maneira: “Nós sabemos que isso-ou-aquilo; tal personagem, porém, o ignora”. 32, 79, 159, 196, 197, 199, 208, 289-346, 360, 371, 384, 393, 394, 411, 433, 445, 446, 453-455, 469-471, 500

Ironia dramática difusa: ironia dramática na qual o espectador pressente – em vez de saber – algo que os personagens ignoram. A ironia dramática difusa é consequência do recuo natural que todo espectador tem sobre os personagens da obra dramática. A ironia dramática difusa formula-se da seguinte maneira: “Nós pressentimos que isso-ou-aquilo; tal personagem nem desconfia”. 328-332, 346, 347, 360-361, 365, 393, 394, 433, 454

Legenda: tradução aproximada dos diálogos, impressa sobre a imagem nas cópias em versões originais dos filmes estrangeiros. 427-428

Literatura: tudo o que é escrito para ser lido (em voz alta ou silenciosamente) e não visto ou ouvido. Cf. Dramaturgia e Exposição. 24, 31, 34, 118, 256, 343, 387-389, 400, 478-485, 496

MacGuffin: no stricto sensu hitchcockiano, o MacGuffin é o segredo que motiva os vilões (raramente os protagonistas) e desnecessário de comunicar ao espectador; lato sensu, toda justificação das premissas conflituosas externas da obra. Essa justificação é, na maioria das vezes, irrelevante, posto que as motivações do protagonista constituem o que interessa ao espectador, e não aquelas fundadoras de obstáculos externos. 86-88, 239, 244, 461

Marcador (main marker): nódulo dramático importante do segundo ato que, em geral, começa ou conclui a sequência. Cf. Clímax mediano. 382-385

Meio: procedimento usado pelo protagonista (local ou geral) para atingir seu objetivo. Quando difícil de atingir, torna-se subobjetivo; se mal escolhido, faz parte dos obstáculos internos. 65-67, 121, 175, 327, 384, 460

Melodrama: gênero dramático caracterizado pelo acúmulo de obstáculos externos e, em particular, as injustiças da vida e os azares infelizes. A passividade frente a este tipo de obstáculo reforça a sensação de melodrama. 34, 77-80, 99, 131, 290, 290-293, 376, 446, 495

Mid-act climax: cf. Clímax mediano.

Milking: anglicismo (ordenha em português) designando o procedimento que consiste em explorar ao máximo um elemento (cenário, personagem, situação, etc.), tirando dele toda significação possível para fazer avançar a ação. Sinônimo de exploração exponencial e forma de criatividade. Cf. Tricô. 23, 278-286, 301, 370, 453, 467-468, 509, 516

Mistério: procedimento que consiste em fazer o espectador saber que ele ignora uma ou várias informações, criando curiosidade intelectual. A resolução de um mistério é um esclarecimento. 240, 319, 337-346, 426, 455, 471, 508

Momento de escolha: nódulo dramático ao longo do qual um dos personagens, geralmente o protagonista, é levado a tomar uma decisão capital para ele ou para a ação. Coincide às vezes com o clímax ou o ponto de não-retorno. 168, 189-190

Mosaico (narrativa): narrativa que se interessa a diversos protagonistas (cada um tendo seu próprio objetivo) e misturando suas intrigas. 225

Motivação: o que anima o personagem e justifica suas ações. Pode ser emoção ou objetivo, consciente ou não (em função do efeito boneca russa pretendido). A motivação é noção importante, vinculada ao trabalho de caracterização, mas também catalizadora da participação do espectador. 63-65, 121

©2012 - Escrevendo & Filmes - Todos os direitos reservados / All rights reserved - Login Design: SUBITO CREATIVE